Versão mobile

20/07/2010 | 11h26

Polícia Ambiental investiga a morte de pelo menos 80 pinguins em Florianópolis

Aves foram encontradas em estado de decomposição

Enviar para um amigo
Polícia Ambiental investiga a morte de pelo menos 80 pinguins em Florianópolis Lucas Lisboa/
Amostras dos animais foram recolhidas para que sejam apuradas as causas das mortes Foto: Lucas Lisboa
A Polícia Ambiental tenta descobrir a causa da morte de pelo menos 80 pinguins em Florianópolis. Os animais foram encontrados nas últimas semanas na faixa de areia das praias do Leste da Ilha de Santa Catarina.

As aves, da espécie pinguim-de-magalhães, já estavam em estado de decomposição, o que dificulta a análise pelos biólogos. Conforme o coordenador do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), Marcelo Duarte, amostras foram recolhidas para tentar descobrir as circunstâncias das mortes. 

— Dos animais que pegamos na praia, um apresentava uma anemia severa e outro tinha água nos pulmões. No primeiro caso, mais comum, o animal pode ter morrido por causa da escassez de alimento durante a migração que normalmente ocorre nesta época do ano. Já o animal com água nos pulmões sugere o possível contato das aves com redes de pesca. Debilitados pela longa viagem, eles acabam se afogando depois de ficarem presos às redes — explica Duarte.

Nos próximos dias, os policiais devem intensificar a fiscalização no mar para tentar descobrir se a colocação de redes fixas de pesca para a captura da anchova, autorizada nesta época do ano, pode ter influenciado para as mortes.

Migração

Em 6 de julho, 11 pinguins foram recolhidos na praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha. Os animais estavam debilitados e foram levados ao Cetas, no Parque do Rio Vermelho, em Florianópolis, para reabilitação.

As aves permanecem no local até que tenham condições de serem lançados de volta ao mar.

A aparição de pinguins nas praias da Capital nesta época do ano é comum. Empurrados por correntes marítimas, os animais originários da Patagônia, no Sul da Argentina, acabam sendo levados para o Litoral Sul do país. Parte das aves morre no trajeto, antes de retornar para o país vizinho para se reproduzir.

Reabilitação

A polícia faz rondas nas praias da Capital e conta com o apoio de moradores para tentar localizar animais que precisam de ajuda.

Quem encontrar um animal pode entrar em contato com a Polícia Ambiental pelo telefone (48) 3269-7111 ou transportar o animal, numa caixa de papelão, até a sede do Cetas. Os pinguins não devem ser alimentados ou lavados.

DIARIO.COM.BR E RBS TV

Notícias Relacionadas

06/07/2010 | 14h25

Polícia Ambiental recolhe pinguins na praia de Canasvieiras em Florianópolis

Aves receberão cuidados no Parque do Rio Vermelho

Comentar esta matéria Comentários (2)

Eder Giovani

Vejo fortes indícios de envolvimento do Batman.

20/07/2010 | 13h30 Denunciar

Sandro

Talvez isso possa ser uma coisa frequente por aqui. Aqui em Floripa, segundo as lideranças politicas e empresariais o que importa é o investimento e o dinheiro. Pinguins, golfinhos, meio ambiente???? Se preocupar com isso? Pra que? O mar invadindo as casas, enchente, deslizamento, vasamentos, etc... Tudo isso é preocupação de "meia duzia de ecochatos"!!! É como dizem os influentes de Floripa. Depois são os mesmos que fazem cara de espanto com desastres ambientais e fazem "doação".

20/07/2010 | 12h13 Denunciar

Siga Diário Catarinense no Twitter

  • dconline

    dconline

    Diário CatarinenseOperadoras abrem pré-venda do iPhone 6, que chega ao Brasil em 14 de novembro. http://t.co/QKd5o63ERBhá 1 horaRetweet
  • dconline

    dconline

    Diário CatarinenseArmas furtadas do IGP são encontradas em sítio, em Lages. http://t.co/lGNLgQ3STMhá 2 horas Retweet
Diário Catarinense
Busca
clicRBS
Nova busca - outros