Reurbanização17/04/2012 | 06h40Atualizada em 17/04/2012 | 14h11

Praia da Armação, em Florianópolis, fica sem R$ 13 milhões para sua recuperação

Verba que seria enviada pelo Ministério da Integração não vem mais e prefeitura culpa a burocracia

Enviar para um amigo
Praia da Armação, em Florianópolis, fica sem R$ 13 milhões para sua recuperação Charles Guerra/Agencia RBS
Verba seria usada para recuperar a orla depois da ressaca de 2010 Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Correção: Da 06h40min até as 14h13min, este site informou equivocadamente que Fernando Luiz Sabino era presidente da Associação de Moradores da Armação. Na verdade, Sabino é presidente da Associação de Pescadores da Armação. O texto foi corrigido.

A prefeitura de Florianópolis não conta mais com os R$ 13 milhões solicitados ao governo federal para recuperar a Praia da Armação, no Sul da Ilha de SC. Outros R$ 3 milhões de investimentos necessários na orla viriam de uma contrapartida da própria prefeitura.

Confira galeria da destruição em 2010

A verba do Ministério da Integração (MI) teria sido garantida em dezembro de 2011, pela assinatura de um empenho, e estava a um passo da concretização do convênio. Agora, a gestão municipal culpa a burocracia pela não liberação dos recursos.

O secretário municipal de Obras, Luiz Américo Medeiros, reconheceu que não há
estimativas de quando será feita a recuperação completa da Praia da Armação, com a drenagem da praia e do Rio Quincas Antônio, e aponta a perda dos prazos na busca pelos recursos.

— Eles (no MI) não assinaram o empenho no prazo, o que fez com que o convênio não pudesse ser assinado — afirmou Luiz Américo.

O secretário alegou que a prefeitura encaminhou à pasta os documentos pedidos. Entre eles, estariam certidões, plano de trabalho e projeto da obra. Num segundo momento, a gestão municipal teria enviado detalhamentos do plano.

O secretário não enumerou os "detalhamentos", não explicou quais eram as datas finais que a prefeitura deveria respeitar e nem apontou quando o prazo para conseguir a verba expirou. Apenas garantiu que foi feito o que era possível.

— Tudo o que foi solicitado, foi atendido e, para mim, o processo acabou. Recebemos a notícia de que não teria possibilidade de reverter — disse.

Agora, para as obras de recuperação, a gestão municipal não descarta tentar angariar os fundos por meio de outra emenda parlamentar ou diretamente por um dos setores do MI.

O primeiro projeto para a orla da Armação foi encaminhado a Brasília em 2001. Em 2008, representantes dos moradores da região retomaram as discussões sobre o assunto em Brasília.

Dois anos depois, com a situação agravada na região pela grande ressaca, a então senadora e atual ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, garantiu a liberação do montante. Ficaria a cargo da prefeitura de Florianópolis o envio de documentos complementares.

Na segunda-feira, em visita à capital catarinense, a atual ministra disse que não sabia da perda da verba, mas expôs que, quando senadora, conseguia monitorar as ações da prefeitura. Agora, ressaltou que pouco pode fazer a respeito. 

— Na época, fizemos o possível, mesmo assim pedirei a meus assessores para estudar a possibilidade de reverter esta perda — afirma.

A assessoria do ministério não confirmou a perda dos recursos, pois o sistema da pasta está sendo atualizado, e disse que informações sobre o assunto só seriam repassadas hoje.

Mais medidas emergenciais na orla

Diante da não liberação dos recursos, a prefeitura disse que vai fazer mais obras emergenciais no balneário. A intenção é urbanizar a área central do muro de contenção, de cerca de 1,3 quilômetro.

Para Luiz Américo, essas medidas são um "apelo da comunidade, pela dificuldade em utilizar a área". Ele disse que a prefeitura não tem, de imediato, os R$ 3 milhões necessários para a completa urbanização. Está em avaliação o que pode ser feito e quanto há em caixa.

O muro foi construído em decorrência da última grande ressaca, em maio de 2010, que prejudicou a estrutura de 31 casas na região. A estrutura de pedras custou R$ 10 milhões, vindos do governo federal.

Para o presidente da Associação de Pescadores da Armação, Fernando Luiz Sabino, que participou de reuniões sobre o assunto em Brasília, faltou força de vontade da prefeitura para conseguir a verba.

— Para mim, é questão política, eles não tiveram interesse de acompanhar o projeto em Brasília — opina.

Ele disse que deve continuar solicitando a verba, agora por meio de emenda parlamentar. Sabino ainda teme novas ressacas.

— Este verão tivemos um mar calmo. Se der outra ressaca, teremos um problema, não foi feito nada para conter a ação do mar.

Casas foram destruídas




Veja localização da da Praia da Armação, em Florianópolis


Visualizar Praia da Armação em um mapa maior

Comentar esta matéria Comentários (6)

Carlos Alberto Ramos

Duas perguntas importantes devem ser feitas: 1 - Como foi aprovado 10 milhões para colocar pedras, em menos de 48 hora, após a ressaca? 2 - E para liberar 13 milhões, para consertar a lambaçã feita com as pedras já passaram 3 anos e estão exigindo tantos projetos?

17/04/2012 | 21h24 Denunciar

Flávio Targino da Silva

Que incompetência absurda!

17/04/2012 | 10h09 Denunciar

Reinaldo

A praia da Armação é uma das mais belas da ilha,natureza impecável. O descaso dos administradores é de indignar.Omissos, relapsos, que só tem verba para gastar em festas na beira mar. Uma calçada com passeio e bancos , acessos ,já poderia ter há muito tempo, e que custa pouquíssimo.

17/04/2012 | 09h42 Denunciar

Ricardo

Espero que a comunidade do Sul da Ilha - e, porque não, a ilha como um todo - se lembre disso no pleito que se aproxima, afinal, depois de eleger cretinos incompetentes só nos resta chorar...

17/04/2012 | 09h23 Denunciar

Ricardo

Quero saber de novidades! Essa já é velha... desde que saiu a 1ª notícia de q haveria prazo para conseguir essa verba, já tinha absoluta certeza de q nossos eficientes administradores iriam perdê-lo. Verba boa é a q dá pra desviar. Imaginem o desperdício! Investir R$ 13 mi numa prainha qualquer!

17/04/2012 | 09h20 Denunciar

Eustaquio Gomerindo

R$ 10.000.000,00 para colocar pedras em 1.300 mts de praia??!! Quer dizer, cerca de 1 milhão de reais a cada 130 mts. Ta Q P!!! Q pedras são essas?? Ouro, prata?? Vieram de avião da Tailandia?? Os caminhões q carregaram eram feitos de ligas de Titânio?? Servicinho caro esse, não? P/ dizer o mínimo.

17/04/2012 | 09h16 Denunciar

Siga Diário Catarinense no Twitter

  • dconline

    dconline

    Diário CatarinenseBenedito Novo deu a maior vitória de Santa Catarina a Aécio no 1º turno. http://t.co/WDUgESwl2Nhá 44 minutosRetweet
  • dconline

    dconline

    Diário CatarinenseCidade de 3 mil habitantes, no Oeste de SC, foi a que deu mais votos à Dilma. http://t.co/KdvDUCTdvehá 47 minutosRetweet
Diário Catarinense
Busca
clicRBS
Nova busca - outros